Marilienses no RIO +20

Marilienses no RIO +20

A reunião recebeu esse nome porque vai debater qual será o futuro da humanidade, e também porque marca os 20 anos da Rio92 ou ECO92 ocorrido em 1992. Reciclagem de lixo, preocupação com poluição e desmatamento da Amazônia, incentivo para a economia de água são algumas atitudes comuns hoje que tiveram grande projeção nesta época. Representantes marilienses participam do encontro, prometendo trazer experiências entre os municípios de todo o mundo.

As negociações oficiais e os mais de mil eventos paralelos irão reunir governos, empresas, ONGs, acadêmicos e movimentos sociais para identificar soluções e metas para enfrentar os desafios globais urgentes, como a falta de acesso a energia e água potável, oceanos esgotados, insegurança alimentar, as crescentes desigualdades e cidades em rápida expansão. Eles também decidirão formas de impulsionar a sustentabilidade corporativa, criação de empregos verdes, avançar o papel da ciência e inovação, fechar lacunas tecnológicas, gerar o financiamento necessário e melhorar mecanismos de cooperação internacional.

Foram escolhidos dois temas centrais para as discussões dos representantes mundiais: a economia verde, com um novo modelo de produção que degrade menos o meio ambiente, e a governança internacional, que indicará estruturas para alcançar este futuro desejado.

Paralelamente a Rio+20, acontecerá a Cúpula dos Povos, no Aterro do Flamengo, entre os dias 15 e 23 de junho. As atividades autogestionadas envolvem a realização de seminários, debates, palestras e encontros sobre meio ambiente e sociedade.

Segundo a Secretaria do Meio Ambiente, Sonia Cristina Guirado Gardoso, que vai representar Marília na reunião, é muito importante ter um representante da cidade debatendo os problemas dos municípios. “Vamos estar lá, trocando experiências com os participantes da Cúpula dos Povos, com certeza vamos trazer muitas idéias para implantar em Marília”. Guirado salienta que já fez contatos com representantes do INEA (Instituto Estadual do Ambiente) e da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro)para desenvolver parcerias em projetos futuros.

 

Para a Profª. Dr.ªMírian Cláudia Lourenção Simonetti, docente da Unesp,a discussão sobre os problemas da sociedade entrou na agenda de todos os países desde a ECO92 realizada também aqui no Brasil. “Foi a partir desta reunião que as empresas viram que ser amiga do meio ambiente é uma forma de ser diferente entre as outras”. Simonetti diz ainda que foi a partir da ECO92 que surgiram as pautas de ações políticas ligadas ao meio ambiente.

Cerca de 50 alunos da Unesp do Câmpus de Marília estarão participando da RIO+20, mais especificamente da Cúpula dos Povos. “É extremamente importante a participação de alunos marilienses na reunião, certamente eles vão voltar com uma responsabilidade ambiental diferenciada” disse a professora. Segundo ela eles serão cobrados do que foi visto no Rio de Janeiro para depois levar as experiências para o âmbito da cidade de Marília.

 

História

A Rio+20 não é uma Conferência sobre ecologia ou ambiente, não serão discutidas as questões de clima, emissões de CO2 ou biodiversidade pontualmente, mas sim como o viés ambiental se encaixa no desenvolvimento social e econômico. Esta série de reuniões da ONU começou em 1972, em Estocolmo, e de lá até hoje foram 3 conferências, uma a cada 10 anos.

Na Suécia ocorreu a “Conferência das Nações Unidas sobre o Ambiente Humano”, a primeira vez em que se pensou o impacto do homem no planeta. Dez anos depois, em 1982, foi feita a “Carta Mundial da Natureza”, que afirmava que “a humanidade é parte da natureza e depende do funcionamento ininterrupto dos sistemas naturais”. Aqui ainda não tinha sido criado o termo desenvolvimento sustentável.

A ECO92 também não levava o conceito no título, era a “Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento”. Foi a partir de 92 que o ambiente foi estabelecido como pilar do desenvolvimento sustentável, ao lado do social e econômico. Também foi neste ano que a preocupação ganhou alcance mundial.

Já em 2002, os países se reuniram na “Convenção Mundial sobre o Desenvolvimento Sustentável”, também chamada de Rio +10, em Joanesburgo, na África do Sul. O objetivo aqui foi acompanhar os avanços dos compromissos firmados em 1992.

fonte: http://www.correiomariliense.com.br/materia.php?materia=26454



Deixe um Comentário




Contato

Nature Engenharia e Meio Ambiente
Rua Clemente Garla, 315 - Sala 04
Jd. Portal do Sol | CEP 17.519-400 |
Marília/SP
Fone: (14) 3417-3884
Cel: (14) 99702-5071

contato@natureambiental.com.br

Escritório de Apoio
Avenida Rio Branco, 1300
Centro | CEP 17.800-000 |
Adamantina/SP
Fone: (18) 3522-1782
Cel: (18) 99678-9852


Newsletter


Erro! Por favor, corrija os campos Cadastrado com sucesso! Enviando

Siga-nos

   


Copyright © 2018 Nature Engenharia e Meio Ambiente - Todos os direitos reservados   |   Webmail